Nesta quarta-feira (09) e na quinta-feira (10) acontece na Escola Técnica do Sistema Único Manoel Ayres (Etsus) mais uma oficina para implantação das Comissões de Integração Ensino-Serviço (Cies). Desta vez, a oficina é destinada aos profissionais das regiões de saúde Marajó I e II. Participam do encontro gestores municipais e estaduais de saúde, representantes dos trabalhadores e movimentos sociais com atuação na área, de instituições de ensino superior e técnico, além de gestores municipais de educação.

Na abertura, o secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, destacou a importância da integração de outras políticas, e citou a educação como ferramenta de conhecimento para os profissionais. “A educação também faz parte deste processo da saúde. A saúde cultural, física, mental e social depende da nossa qualificação. Esta integração de ensino-serviço permite que nós, no ambiente de trabalho, consigamos convencer os companheiros sobre a importância do estudo constante nos mais diversos aspectos”, afirmou Helio Franco.

A região de saúde do Marajó foi desmembrada em duas, mas as Comissões Intergestores das duas regiões decidiram fazer só uma oficina. A metodologia foi adaptada para viabilizar a discussão da política de educação permanente e a formação das duas comissões de integração ensino-serviço.

Já foram realizadas sete oficinas em diversas regiões, e ainda faltam mais seis para atingir o total de 13 regiões onde as Cies serão implantadas.

Iniciadas em junho deste ano, as oficinas contemplam as regiões de Tucuruí, Carajás, Metropolitana I, II, III, Araguaia, Tapajós, Baixo Amazonas, Xingu, Tocantins, Marajó I e II e Atlântica de Caetés.

Multiplicadores – Segundo Sônia Bahia, coordenadora de Educação na Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), as oficinas visam fomentar o processo da educação permanente em todas as regiões do Pará. “Estes profissionais serão multiplicadores de conhecimento, comprometidos em levar adiante tudo o que aprenderam sobre política de educação e saúde permanente”, destacou.

O trabalho está sendo feito em conjunto com a Secretaria Executiva da Comissão Intergestores Regional (CIR), dos 7º e 8º Centros Regionais de Saúde (CRS), com apoio das secretarias Municipais de Saúde da região.

A coordenação executiva e metodológica da oficina é da Sespa, por meio da Diretoria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Coordenação de Educação na Saúde e Gerência de Educação Permanente, conforme projeto apresentado pela Cies-PA, e aprovado pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

As Comissões Permanentes de Integração Ensino-Serviço são instâncias intersetoriais e interinstitucionais permanentes que participam da formulação, condução e desenvolvimento da Política de Educação Permanente em Saúde, devendo acompanhar, monitorar e avaliar projetos que visem a formação de equipes de saúde para o trabalho no SUS (Sistema Único de Saúde), a integração entre ensino e serviço, o fortalecimento do controle social e a elaboração do Plano Regional de Educação Permanente em Saúde (Pareps) de cada região.

Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 09/10/2013 às 18:00
Fonte: http://www.agenciapara.com.br/noticia.asp?id_ver=137067