A I Oficina de Pesquisa aconteceu nos dias 24  e 25 de agosto/ 2014, em Brasília, tendo a participação de moradoras/es de territórios onde acontecerá a pesquisa, do Conselho Gestor e do Grupo Executivo do OBTEIA. Este foi o momento para coletivamente definir aspectos metodológicos para o desenvolvimento das pesquisas nos territórios e uma oportunidade para a consolidação dessa Teia de Saberes e Práticas.

Já na apresentação das/os participantes evidenciou-se que “as/os trabalhadores precisam ser sujeitos nesta pesquisa” e que a tarefa está em estabelecer um diálogo que favoreça o “aprender com”. Como método, em cada território se constituirá uma equipe com pesquisador/a popular e outra/o da academia e há o compromisso de devolver para as comunidades o conhecimento que foi produzido, de provocar a apropriação das tecnologias pela classe trabalhadora do campo, floresta e águas e de identificar as grandes dificuldades do acesso à saúde, dialogando sobre sugestões para melhoria. A grande expectativa das/os presentes na Oficina é a contribuição na efetivação das políticas de sáude: é preciso que a política saia do papel e chegue ao território.

O grande propósito dessa pesquisa é de fato tornar-se instrumento de luta para os movimentos sociais. Como disse um participante da Oficina: “nossos problemas são históricos e agora temos oportunidade de nos debruçarmos sobre alguns deles para o movimento se apropriar deles e ir para a luta na rua.”obteia

Os nove territórios foram definidos em diálogo com o Conselho Gestor do OBTEIA considerando a existência de componentes da PNSIPCF implantados e que já exista movimento social organizado e gestoras/es e profissionais de saúde engajados/as, bem como pesquisadores engajados e populares disponíveis para o desenvolvimento da pesquisa, que já atuem no território e conheçam seu contexto histórico. Também foram considerados como prioridade os territórios em área de conflito, a localização nas regiões norte e nordeste. Com a pesquisa se buscará visibilizar situações ainda não investigadas/pesquisadas.

A partir de outubro/ 2014 iniciará a pesquisa nos territórios com previsão de conclusão desta em abril/2015, tendo como objetivo avaliar a implementação da PNSIPCFA nos seguintes territórios:

– Nova Santa Rita/ RS

– Melgaço/ PA

– Ilha de Maré/ BAterritorios

– Quilombo do Campinho da Independência/ RJ

– Rio Verde/ GO

– Bico do Papagaio/ TO

– Vale do Jequitinhonha/ MG

– Vale do São Francisco

– Tauá/ CE