Foto: Eduardo Vasconcelos

O 8º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde acontecerá em comemoração dos 40 anos da Associação Brasileira de Saúde Coletiva. As Ciências Sociais e Humanas em Saúde contribuem para transformar crise em debate na atual conjuntura política e institucional do Brasil, aliando-se de modo dialógico, crítico e construtivo nos enfrentamentos em defesa da vida.

O evento ocorrerá entre os dias 26 e 30 de setembro de 2019, em João Pessoa, na Universidade Federal da Paraíba, tendo como tema central “Igualdade nas diferenças: enfrentamentos na construção compartilhada do bem viver e o SUS”.

  • Grupos Temáticos:

GT 1 – A Ecologia de Saberes e a saúde dos povos do campo, floresta e águas: desafios para a pesquisa na conjuntura política atual
GT 2 – Pesquisa Qualitativa em Saúde no Norte do Brasil: uma abordagem de pesquisa promotora de equidade
GT 3 – Análise institucional e Saúde Coletiva: inventando enfrentamentos na construção compartilhada do SUS
GT 4 – Aprender com Dona Maria: artes e espiritualidades populares na construção do bem viver
GT 5 – As interfaces entre os Movimentos Sociais e o Sistema Único de Saúde: legitimidade, defesa e construção do direito à saúde
GT 6 – Cidade, subjetividade e práticas em saúde
GT 7 – Ciências Sociais e Humanas em Saúde, Adoecimentos e Sofrimentos de Longa Duração: cuidado em saúde, saberes e políticas de vida
GT 8 – Cuidado, responsabilidade coletiva e injustiça: O que estamos fazendo
GT 9 – Cuidados em Saúde Relacionados ao Uso de Drogas: modelos, instituições e políticas
GT 10 – Deficiência, políticas sociais e bem viver em contexto neoliberal
GT 11 – Descolonizar e reinventar a Saúde Coletiva: epistemologias, ecologias e interculturalidades nas práticas emancipatórias em saúde nos territórios
GT 12 – Direitos humanos e descolonização da comunicação na saúde
GT 13 – Entre aldeias, ruas e terreiros: contribuições do bem viver à reforma psiquiátrica
GT 14- Extensão e educação popular: Estratégias de enfrentamento para a garantia do Direito à Saúde e do Bem Viver
GT 15 – Gênero e sexualidade na interface entre saúde e direitos humanos da população LGBTQI+: (re)existências possíveis na contemporaneidade
GT 16 – Gênero, direitos sexuais e reprodutivos
GT 17 – Iniquidades em saúde: análise de trajetórias de vida, formas sistemáticas de adoecimento e intervenções sobre os seus determinantes
GT 18 – Instituições jurídicas e reivindicação de direitos para a materialização do SUS: Avanços e desafio do bem viver
GT 19 – Internet, saúde e sociedade
GT 20 – IST/HIV/AIDS, Políticas e Subjetividades
GT 21 – Itinerários terapêuticos: vulnerabilidade(s), interseccionalidade(s) e experiências de luta pelo direito à saúde no e para além do SUS
GT 22 – Movimentos sociais do campo como prática da agroecologia, educação popular e saúde na perspectiva da construção compartilhada do Bem Viver
GT 23 – Práticas Integrativas e Complementares (PICs), Educação Popular e Promoção da Saúde na construção compartilhada do bem viver
GT 24 – “Resistimos há 519 anos”: construção de conhecimentos a partir do bem viver e a luta por direitos dos povos indígenas em contexto de violações
GT 25 – Retrocessos na política da atenção psicossocial: resistências e enfrentamentos possíveis
GT 26 – Saberes e tecnologias biomédicas: agenciamentos, políticas e éticas no campo da saúde
GT 27 – Saúde mental e protagonismo de usuários e familiares
GT 28 – Saúde, currículo, formação: experiências, vivências, aprendizados e resistência sobre raça, etnia, gênero e seus (des)afetos
GT 29 – Sistema penitenciário, saúde e violência no Brasil: uma luta coletiva por direitos
GT 30 – Sistemas de Saúde e Tradições de Cura no Brasil: descolonização de saberes e práticas emancipatórias
GT 31 – Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional – SSAN e os povos e comunidades tradicionais: concepções e experiências em diálogo com o SISAN
GT 32 – Trabalho, produção e saúde no contexto de crise e contra-reformas ultraliberais: implicações para as políticas de saúde e perspectivas dos movimentos sociais e dos trabalhadores na garantia de seus direitos
GT 33 – Violência obstétrica, (des)colonialidades, direitos reprodutivos e modos de nascer (ou não)
GT 34 – Violências e internet: modos de perpetração, tecnologias e ativismos digitais de enfrentamento
GT 35 – Vulnerabilidades e saúde: enfoques, contextos e sujeitos
GT Ampliando Linguagens

Para inscrições e mais informações, acesse o site do evento.