A meta do Observatório é realizar o lançamento da publicação em cada um dos territórios envolvidos na pesquisa

Com o objetivo de divulgar pesquisas de avaliação da PNSICFA juntamente com suas populações, o Observatório de Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas – Obteia lançou no dia 9 de outubro o livro Campo, Floresta e Águas: Práticas e Saberes em Saúde.

O livro reúne reflexões sobre o tema da saúde da população rural através das pesquisas desenvolvidas por 69 autores, entre representantes do SUS, de movimentos sociais e da academia desde 2012, envolvendo onze territórios de todo o país. A publicação busca reunir as vivências das populações e também construir uma memória em conjunto com as mesmas, também contando com revisores acadêmicos e populares.

Foto: Rhaiza Lima

O coordenador do Observatório e um dos organizadores do livro, Fernando Carneiro, explica que o intuito do projeto não era simplesmente pesquisar, mas de produzir um espaço de protagonismo: “Não queremos que a publicação seja pensada como uma pesquisa para aquelas pessoas, mas sim como algo construído em parceria com essas populações. Todos esses homens e mulheres estão ali presentes como pesquisadores e autores”, ressalta Fernando.

Noemi Krefta. Foto: Rhaiza Lima

Também autor do livro, Vinícius Oliveira, do Ministério da Saúde e mestre em Saúde Pública, falou sobre o caráter inovador da pesquisa realizada: “O modelo participativo valoriza e fortalece as populações, e é um modelo que não acaba, que se transforma e pensa novas possibilidades para a atenção em saúde”.

Evidenciando o caráter participativo do livro, haverá lançamentos em cada um dos territórios envolvidos na pesquisa, com o compartilhamento dos resultados para os envolvidos e também com o objetivo de construir um caderno popular.

Noemi Krefta, do Movimento de Mulheres Camponesas e uma das autoras do livro, destacou a importância de compreender as vivências das populações: “Este é um movimento que busca construir a promoção do SUS de forma efetiva, respeitando o modo de se organizar e viver das populações do Campo, da Floresta e das Águas”, finaliza.

O lançamento da publicação foi realizado durante a 1ª Conferência Livre de Vigilância em Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas, realizada na Fiocruz Brasília, contando com a presença de representantes de movimentos sociais, do Grupo da Terra, técnicos do Ministério da Saúde, pesquisadores do NESP/UnB, e pesquisadores da Fiocruz Ceará e Fiocruz Brasília.

Conferência Livre

A 1ª Conferência Livre de Vigilância em Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas contou com rodas de conversas que discutiram e construíram propostas de vigilância em saúde a partir do olhar das populações do campo, da floresta e das águas.

Durante os dois dias do evento, foram abordados temas como “Os desafios da construção da Vigilância em Saúde”, “Trabalho, saúde e ambiente e a Vigilância em Saúde” e “Modelos de Atenção em Saúde: a vigilância nos territórios do campo, da floresta e das águas”.

A conferência faz parte das etapas preparatórias para a 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, que será realizada nos dias 30 de novembro e 01 e 02 de dezembro, em Brasília, e terá como tema central “Vigilância em Saúde: Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade”.