Durante todo este ano, com início em maio, realizou-se nas cinco regiões do Brasil o Curso Nacional Descentralizado para formação de Lideranças e Gestores em Saúde, com foro em gestão participativa da Política de Saúde do Campo. Agora os envolvidos na organização e realização desses eventos se reúnem em uma Oficina Pedagógica, na CONTAG, para uma avaliação do processo ocorrido até agora e o planejamento pedagógico da segunda etapa, que acontecerá no próximo ano.Iniciada ontem, dia 6, a atividade vai até o sábado. Participam representantes das três áreas que coordenam o projeto a nível nacional (Ministério da Saúde, Fiocruz e CONTAG), e também outros parceiros do projeto e colaboradores indicados pela rede de Formação da CONTAG. Da parte da Confederação, participam os assessores e assessoras regionais que já acompanham o processo.

Dos cinco eventos realizados no 1º módulo desta formação, o secretário de Políticas Sociais, José Wilson Gonçalves, faz uma boa avaliação: “O resultado tem sido positivo, tanto no momento da formação, quando na participação do movimento sindical e dos gestores de saúde do trabalhador. Quando eles se encontram na atividade, vão descobrindo de que as dificuldades são muito parecidas”, diz.

Serão cinco módulos, com atividades intermódulos que trabalham o que foi debatido no curso.“Das atividades intermodulos já surgiram resultados, com estados fazendo reuniões com gestores e lideranças no território de atuação do projeto para fazerem as discussões com foco local”, conta José Wilson.

O projeto

Este curso de formação é resultado de um convênio da CONTAG com o Ministério da Saúde e Fiocruz. O objetivo é fazer uma formação política com os dirigentes sindicais e os gestores da área da saúde para a implementação da Política Nacional de Saúde Integral para População do Campo e da Floresta.

FONTE: Imprensa CONTAG – Gabriella Avila