­

About rhaiza.lima

This author has not yet filled in any details.
So far rhaiza.lima has created 43 blog entries.

Novo edital para agroecologia terá R$ 25 milhões, informa o BNDES

Fundação BB e Fundo Amazônia entrarão com R$ 15 milhões desse total; gasto no último Ecoforte foi de R$ 32,6 milhões; outros projetos sociais serão cortados Fonte: http://racismoambiental.net.br Por um lado, alívio. Organizações que temiam a não renovação do programa Ecoforte, de apoio a redes de agroecologia, comemoraram o anúncio, feito nesta segunda-feira pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de que serão investidos R$ 25 milhões no edital 2017. A informação foi dada pela chefe do Departamento de Inclusão Produtiva do banco, Daniela Arantes, durante evento sobre o Ecoforte, em Campinas (SP). Por outro lado, copo meio vazio. O valor gasto nos 28 projetos aprovados no edital anterior, segundo Daniela, foi de R$ 32,6 milhões. Mais do que os R$ 25 milhões previstos no edital de 2014 – cifra que agora se repete. Haverá, portanto, uma diminuição. “O volume é muito aquém do que precisaria ser”, afirma Denis Monteiro, da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA). “O programa não pode ficar menor do que estava”. O encolhimento poderia ter sido maior. Daniela disse que o valor previsto nas últimas semanas era de R$ 20 milhões. Na semana retrasada, porém, foram obtidos mais R$ 3 milhões do Fundo Amazônia – aquele que a Noruega ameaça suspender. E R$ 2 milhões extras da Fundação Banco do Brasil, que, no total, entrará com R$ 12 milhões. Os R$ 10 milhões restantes são do Fundo Social do próprio BNDES. A Fundação BB considera que, diante dos cortes diversos na esfera pública, o valor investido é um sinal de prestígio da agroecologia. “Outros programas a gente está vendo se vai continuar”, afirmou o diretor-executivo de Desenvolvimento Social da fundação, Rogério Biruel. “Na conjuntura atual, com janelas sendo fechadas em [...]

Por |5/07/2017|Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em Novo edital para agroecologia terá R$ 25 milhões, informa o BNDES

Caravana Agroecológica do Semiárido Baiano – um exercício coletivo e popular de análise do território

Fonte: Abrasco Mais uma Caravana Agroecológica começou nesta segunda-feira, dia 26 de junho, e contará com o apoio da Abrasco por meio do seu Grupo Temático de Saúde e Ambiente.  Os abrasquianos André Búrigo (Fiocruz /RJ), André Monteiro (Fiocruz/PE), Cheila Bedor (Univasf) e Fernando Carneiro (Fiocruz/CE) , estarão em Juazeiro da Bahia para mais uma edição da Caravana Agroecológica, desta vez, para percorrer os diferentes mundos e contrastes vividos e sentidos no semiárido baiano, pelos caminhos das águas do rio São Francisco – “Esta Caravana é mais uma atividade de continuidade do 2º Sibsa – Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente da Abrasco, o que chamamos de “Sibsa em movimento”, que são ações desenvolvidas em articulação com o movimentos sociais e instituições, construídas em rede, mostrando os conflitos territoriais e suas experiências concretas de promoção da saúde. A Caravana trabalha com a mesma metodologia que foi utilizada no Dossiê Abrasco: de trabalhar com denúncias (aquilo que ameaça e produz contexto de adoecimento) e anúncios (aquilo que já está sendo feito e aponta para a construção de uma sociedade mais justa e saudável, na convivência com o semiárido, que passa pelas inúmeras experiências agroecológicas e de resistências comunitárias)  a partir dos territórios. Esta é a segunda Caravana que a Abrasco participa da organização, que como a primeira (que percorreu os caminhos do Vale do Rio Doce, no contexto da tragédia-crime da Samarco/Vale/BHP) esta também vai seguir por uma bacia hidrográfica”, explica Búrigo. Caravanas Agroecológicas têm sido realizadas por todo o Brasil como estratégia de mobilização de diferentes atores para, a partir de uma vivência no território, refletirem juntos sobre as diferentes realidades e construir estratégias convergentes de ações. “Estaremos pelos vales, serras, planícies, matas, trilhas, estradas, pequenas cidades, cidades… pelas roças, comunidades tradicionais, [...]

Por |29/06/2017|Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em Caravana Agroecológica do Semiárido Baiano – um exercício coletivo e popular de análise do território

Rede sobre Saúde, Água e Direitos Humanos é criada no Ceará

Fonte: Agência Fiocruz de Notícias A Fiocruz Ceará, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa-CE), o Instituto Federal do Ceará (IFCE), a Caritas Brasileira Regional Ceará, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Centro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador (Cetra) realizaram nos dias 29, 30 e 31 de março, em Fortaleza-Ceará, a Oficina de Criação da Rede Saúde, Água, Saneamento e Direitos Humanos no Semiárido. O evento contou com a participação de representantes de instituições de ensino e pesquisa, entidades, movimentos sociais, comunidades de diversas regiões do Ceará e setores do Estado responsáveis pela implementação das políticas públicas relacionadas à temática em pauta. Durante a pré-oficina, que aconteceu no dia 29 de março, com a participação das entidades mencionadas anteriormente, bem como outros órgãos do Governo Estadual e Federal, foi discutida a criação de um mestrado (em rede) sobre Saúde, Água, Saneamento e Direitos Humanos. Na oportunidade, foram apresentadas as experiências dos programas de pós-graduação: mestrado profissional em Saúde da Família da Rede Nordeste de Formação em Saúde da Família (Renasf), da qual a Fiocruz Ceará faz parte; o Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (Prodema); o mestrado profissional em Trabalho, Saúde, Ambiente e Movimentos Sociais do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana, da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz); e o mestrado em Meio Ambiente, Águas e Saneamento, da Universidade Federal da Bahia. As apresentações focaram no histórico e na experiência de mestrado em rede, seu caráter crítico e inovador, discutindo também aspectos como, articulação, composição, financiamento, desafios, aprendizados e perspectivas para sua realização. O debate em torno das experiências apresentadas contribuiu para a discussão acerca da estruturação do Mestrado em Rede em [...]

Por |29/06/2017|Notícias do Observatório|Comentários desativados em Rede sobre Saúde, Água e Direitos Humanos é criada no Ceará