­

About rhaiza.lima

This author has not yet filled in any details.
So far rhaiza.lima has created 43 blog entries.

Intoxicação por agrotóxicos e tentativas de suicídio: Realidade Preocupante

A facilidade de se adquirir os produtos pode ser uma das causas para o alto índice de notificações Em alusão ao setembro Amarelo, campanha internacional de prevenção ao suicídio, é importante analisar as questões que permeiam o uso de agrotóxicos e as taxas de suicídio com o uso destes venenos. Dentre os riscos ocupacionais do trabalho agrícola, destacam-se os agrotóxicos, que são relacionados a intoxicações agudas, doenças crônicas, problemas reprodutivos e danos ambientais. No Brasil, o consumo de agrotóxicos cresceu bastante nas últimas décadas, crescendo 115% entre 2002 e 2012, transformando o país em um dos líderes mundiais no consumo de agrotóxicos. Os dados são da 6ª edição dos Indicadores de Desenvolvimento Sustentável (IDS) 2015, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre os países em desenvolvimento, os agrotóxicos causam, anualmente, 70.000 intoxicações agudas e crônicas. O ministério da Saúde, através do Relatório de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos, divulgado em 2016, apresenta estatísticas alarmantes que relacionam as intoxicações com agrotóxicos registrada no país com tentativas de suicídio. Segundo o relatório, durante o período de 2007 a 2013, o número de registro de notificações de intoxicação por agrotóxicos (incluindo entre uso agrícola, uso doméstico, uso na saúde pública, raticida e produto veterinário) foi de 59.576 casos. Destes, 32.369 são relacionadas à tentativa de suicídio. Os casos citados representam 54,3% do total das notificações de intoxicação. Os estados que mais notificaram casos de intoxicação por agrotóxicos por tentativa de suicídio foram São Paulo (6.587 casos), Minas Gerais (5.384 casos), Paraná (5.048 casos) e Pernambuco (3.226 casos), correspondendo a 50% de todas as notificações registradas no período. Ao se analisar a média de notificações para [...]

Por |26/10/2017|Notícias do Observatório|Comentários desativados em Intoxicação por agrotóxicos e tentativas de suicídio: Realidade Preocupante

Lançamento do Livro “Campo, Floresta e Águas” evidencia o protagonismo das populações

A meta do Observatório é realizar o lançamento da publicação em cada um dos territórios envolvidos na pesquisa Com o objetivo de divulgar pesquisas de avaliação da PNSICFA juntamente com suas populações, o Observatório de Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas – Obteia lançou no dia 9 de outubro o livro Campo, Floresta e Águas: Práticas e Saberes em Saúde. O livro reúne reflexões sobre o tema da saúde da população rural através das pesquisas desenvolvidas por 69 autores, entre representantes do SUS, de movimentos sociais e da academia desde 2012, envolvendo onze territórios de todo o país. A publicação busca reunir as vivências das populações e também construir uma memória em conjunto com as mesmas, também contando com revisores acadêmicos e populares. Foto: Rhaiza Lima O coordenador do Observatório e um dos organizadores do livro, Fernando Carneiro, explica que o intuito do projeto não era simplesmente pesquisar, mas de produzir um espaço de protagonismo: “Não queremos que a publicação seja pensada como uma pesquisa para aquelas pessoas, mas sim como algo construído em parceria com essas populações. Todos esses homens e mulheres estão ali presentes como pesquisadores e autores”, ressalta Fernando. Noemi Krefta. Foto: Rhaiza Lima Também autor do livro, Vinícius Oliveira, do Ministério da Saúde e mestre em Saúde Pública, falou sobre o caráter inovador da pesquisa realizada: “O modelo participativo valoriza e fortalece as populações, e é um modelo que não acaba, que se transforma e pensa novas possibilidades para a atenção em saúde”. Evidenciando o caráter participativo do livro, haverá lançamentos em cada um dos territórios envolvidos na pesquisa, com o compartilhamento dos resultados para os envolvidos e também com o objetivo de [...]

Por |24/10/2017|Notícias do Observatório, Sem categoria|Comentários desativados em Lançamento do Livro “Campo, Floresta e Águas” evidencia o protagonismo das populações

URGENTE – Iminência de massacre no Território do Vale das Cancelas, no município de Grão Mogol, no norte de Minas Gerais.

Urgente! Apelo às autoridades do Estado de Minas Gerais: iminência de massacre no Território do Vale das Cancelas, no município de Grão Mogol, no norte de Minas Gerais. No dia 03/10/2017, famílias das Comunidades Tradicionais Geraizeiros do Vale das Cancelas, em Grão Mogol, no norte de Minas Gerais, estão resistindo contra a destruição do pouco que ainda tem de cerrado, destruição feita pela Empresa JR Reflorestadora, do Grupo da Floresta Minas. Ao estilo dos seringueiros da Amazônia e de Chico Mendes, os geraizeiros estão fazendo “empate”, ou seja, bloqueando a continuidade da ação destruidora da empresa eucaliptadora que ocorre na Comunidade São Francisco, localizada no município de Grão Mogol. A empresa destruiu uma grande área de CERRADO localizado na comunidade. Desmataram e gradearam a terra para o plantio de monocultura do eucalipto. As famílias Geraizeiras foram para a chapada e fizeram um cordão humano para impedir que as suas terras ancestrais sejam novamente tomadas pela monocultura do Eucalipto. Esta área é terra devoluta/pública e pertence ao Território Geraizeiro, mas está grilada há várias décadas por empresas eucaliptadoras. O confronto ocorre neste momento, num clima muito tenso, as famílias impedem com o próprio corpo avanço das máquinas. Exigimos que: a) Os órgãos públicos cumpram sua função de defesa das comunidades e do meio ambiente; b) As organizações populares ajudem nesse momento de enfrentamento. Fomos informados que a polícia já foi acionada pela Empresa e funcionários da JR foram até o local, de forma agressiva e ameaçadora disseram que os trabalhadores serão retirados à força pela polícia. A PM/MG irá cumprir esse papel de guarda de empresas grileiras e degradadoras do meio ambiente? Não podemos deixar que mais essa injustiça aconteça com o povo camponês superexplorado e [...]

Por |4/10/2017|Notícias do Observatório|Comentários desativados em URGENTE – Iminência de massacre no Território do Vale das Cancelas, no município de Grão Mogol, no norte de Minas Gerais.

Lançamento do livro “Campo, Floresta e Águas – Práticas e Saberes em Saúde” em Brasília

O livro “Campo, Floresta e Águas – Práticas e Saberes em Saúde” é uma iniciativa do Observatório de Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas – Obteia, como parte Núcleo de Estudos em Saúde Pública (Nesp/UnB). O lançamento do livro será na Conferência Livre de Vigilância em Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas, na Fiocruz Brasília no dia 9/10 as 17:00 horas. O Obteia iniciou oficialmente suas atividades em 2011, visando contribuir na avaliação e no monitoramento de ações para aperfeiçoar a implantação do Sistema Único de Saúde (SUS) e o acesso à saúde pelas populações do campo, da floresta e das águas. O Obteia vem sendo estruturado a partir da criação de uma Teia de Saberes e Práticas, que envolve movimentos sociais, academia e trabalhadores do SUS para avaliar a política e construir indicadores de saúde, desenvolver pesquisas e ser uma ferramenta de luta para a melhoria da saúde destas populações. A publicação envolveu um esforço coletivo de quase três anos de pesquisas e sistematizações com 69 autores de todas as regiões do Brasil. O livro é também um exemplo da dedicação de movimentos populares, pesquisadores e profissionais do SUS no fortalecimento de uma política de saúde para as populações do campo, da floresta e das águas. O processo de pesquisa e de elaboração do livro foi inovador e utiliza como um de seus princípios a produção compartilhada de conhecimentos a partir da práxis de luta por melhores condições de vida no campo, na floresta e nas águas. Essa publicação também é uma forma de visibilizar a situação de saúde destas populações como sujeitos de sua história e produtores de saberes e práticas de saúde. Este será [...]

Por |4/10/2017|Notícias do Observatório|Comentários desativados em Lançamento do livro “Campo, Floresta e Águas – Práticas e Saberes em Saúde” em Brasília

Congresso de Agroecologia 2017

Brasília será sede do VI Congresso Latino-americano de Agroecologia, o X Congresso Brasileiro de Agroecologia e do V Seminário de Agroecologia do Distrito Federal e Entorno no ano de 2017. Esperam-se aproximadamente 5.000 pessoas, de todas as regiões do Brasil e diversos países do mundo com grande representação da América Latina. O evento será realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, nos dias 12 a 15 de setembro, quando se comemora a Semana do Cerrado.  O tema central do evento resgata a importância da Agroecologia na transformação dos sistemas agroalimentares no mundo a partir de um olhar de reconhecimento à memória biocultural latino-americana, sua riqueza e sua contribuição histórica e relevante para a alimentação mundial. Permite olhar o passado, entender onde estamos e discutir quais caminhos futuros a seguir para construir o Bem Viver entre os países na América Latina. CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA POR DIA: goo.gl/XW5a8Jcontent_copyCopy short URL    

Por |12/09/2017|Notícias do Observatório|Comentários desativados em Congresso de Agroecologia 2017

SETEMBRO AMARELO: Mês Internacional de Prevenção ao Suicídio

Segundo a OMS, 90% dos casos de suicídio estão ligados a alguma psicopatologia, facilmente tratável a medida que as pessoas acessam as informações sobre o problema. Romper com o estigma é fundamental para salvar vidas, falar é sempre a melhor opção. Se você ou alguém próximo está precisando de ajuda, procure um profissional de psicologia ou psiquiatria. Ou entre em contato com o Centro de Valorização da Vida pelo telefone 144.    

Por |11/09/2017|Notícias do Observatório|Comentários desativados em SETEMBRO AMARELO: Mês Internacional de Prevenção ao Suicídio

Edital para Seleção de Alunos da 1ª Turma do Curso de Capacitação a Distância em Toxicologia Clínica e Ambiental: Exposição a Agrotóxicos

O Laboratório de Ensino a Distância do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (LABEAD/IESC/UFRJ), torna pública a publicação do edital para seleção de alunos para a 1ª turma do Curso de Capacitação a Distância em Toxicologia Clínica e Ambiental: Exposição a Agrotóxicos, na modalidade autoinstrucional. O período de inscrições é de 21 de agosto a 25 de setembro de 2017.A seleção de alunos é regida pelo Edital que se encontra disponível na íntegra no Diário Oficial n0 162 de 23/08/17 e no endereço eletrônico do portal do LABEAD. Para efetuar a inscrição, exclusivamente via internet, é imprescindível realizar o cadastro no portal (endereço: labead.iesc.ufrj.br/eadportal).

Por |11/09/2017|Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em Edital para Seleção de Alunos da 1ª Turma do Curso de Capacitação a Distância em Toxicologia Clínica e Ambiental: Exposição a Agrotóxicos

Convite – XV Encontro Nacional de Estudos do Trabalho

A Associação Brasileira dos Estudos do Trabalho (ABET) promove nos dias 06 à 09 de Setembro de 2017 o seu XV Encontro Nacional no Hotel Novo Mundo - Praia do Flamengo, 20 - Flamengo, Rio de Janeiro - RJ. Mais informações em:  http://abet2017.com.br/

Por |6/09/2017|Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em Convite – XV Encontro Nacional de Estudos do Trabalho

Programa Cisternas ganha prêmio como uma das políticas públicas mais relevantes no combate à desertificação

Fonte: Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) O Programa Cisternas, uma política pública de acesso à água que possibilita às famílias rurais do Semiárido brasileiro viver na região, foi considerada a segunda iniciativa mais importante do mundo no combate à desertificação. O reconhecimento vem do Prêmio Política para o Futuro 2017, o único que homenageia políticas em vez de pessoas a nível internacional. A divulgação do Prêmio Prata para a política brasileira foi anunciada hoje (22). A cerimônia de entrega da premiação será em 11 de setembro, durante a 13º Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas, em Ordos, na China. O prêmio, uma iniciativa do World Future Council que, este ano, teve a parceria da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação (UNCCD), atesta a efetividade das ações de convivência com o Semiárido como uma política pública com potencial para reverter a degradação do solo, que impossibilita a produção de alimentos, abandono das regiões afetadas pela sua população, fome e miséria. A desertificação afeta 58% da área do Semiárido, onde vivem 11,8% brasileiros e brasileiras, muitos deles em situação de pobreza ou extrema pobreza. Característica marcante e diferenciada do Programa Cisternas é ter nascido no seio das experiências da sociedade civil, proposta como política pública de convivência com a região pelas organizações atuantes no Semiárido através da Articulação Semiárido (ASA) e assumida pelas gestões de Fernando Henrique, Lula, Dilma e, atualmente, Michel Temer, tornando-se, na prática, uma política de Estado. Foto: Vládia Lima Valquíria Lima, da coordenação executiva da ASA pelo estado de Minas Gerais, destaca que o Programa Cisternas é resultado de uma solução encontrada pelas próprias famílias rurais do Semiárido para terem água. Essa solução foi potencializada pelas organizações [...]

Por |24/08/2017|Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em Programa Cisternas ganha prêmio como uma das políticas públicas mais relevantes no combate à desertificação

Convite – Eru Iyá – Ancestralidades e resistências das mulheres das águas

  Eru Iyá! Vamos celebrar a rainha Iemanjá e as ancestralidades, lutas e resistências das muitas mulheres das águas. Todas e todos estão convidados, na próxima segunda-feira (14/8), para esta atividade que acontece no Sesc Iracema a partir das 18h. A ocasião conta com a exibição do filme Mulheres das Águas, produzido pela Fundação Oswaldo Cruz e Universidade Federal do Rio de Janeiro, e debate sobre o tema com participação de Maninha Pescadora (Articulação Nacional das Pescadoras), Cristiane Faustino (Instituto Terramar), Kelma de Iemanjá (Em Tempos de Ayoká) e o diretor do filme Beto Novaes.       Confira a sinopse do filme: O documentário retrata a vida e as lutas das pescadoras nos manguezais do Nordeste do Brasil. O modo de vida e a sobrevivência de suas famílias estão ameaçados pela poluição de grandes indústrias e pelo turismo predatório que causam danos ao ecossistema dos manguezais, onde inúmeras espécies marinhas se reproduzem. Destaca o engajamento e a resistência dessas mulheres em busca da preservação e demarcação dos territórios pesqueiros, manutenção e ampliação de seus direitos sociais, melhoria das condições de trabalho e da saúde. Realização: Conselho Pastoral dos Pescadores Instituto Terramar Articulação Nacional das Pescadoras Associação Caiçara de Promoção Humana   Serviço:  Eru Iyá - Ancestralidades e resistências das mulheres das águas Local: Sesc Iracema (R. Bóris, 90 - Praia de Iracema, Fortaleza - CE) Horário: 18h

Por |14/08/2017|Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em Convite – Eru Iyá – Ancestralidades e resistências das mulheres das águas