­

About Darlan Martins

This author has not yet filled in any details.
So far Darlan Martins has created 9 blog entries.

SÉRIE DE VÍDEOS SOBRE POPULAÇÕES DOS CAMPOS, ÁGUAS E FLORESTAS

A Fiocruz dispõe de um acervo de vídeos sobre as populações dos Campos, das Águas e Florestas resultante da VI Mostra de vídeos em saúde pública produzidos pela VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz e pelas diversas Unidades da Fundação. Acompanhe-os: O cuidado de pessoas com doenças crônicasOs riscos da exposição aos agrotóxicosAgravos à saúde da população ribeirinhaDST e drogas os cuidados com os adolescentesLombalgia práticas complementaresSaúde bucal prevenção e promoção à saúde

Por |30/09/2019|Sem categoria|Comentários desativados em SÉRIE DE VÍDEOS SOBRE POPULAÇÕES DOS CAMPOS, ÁGUAS E FLORESTAS

CARTA DO ENCONTRO DAS ÁGUAS SANTARÉM, 17 DE JUNHO DE 2019.

A região de Santarém, localizada no oeste do Pará, é reconhecida nacionalmente como o local onde há o encontro fenomenal de dois grandes rios da região Norte do país: o rio Tapajós e o Amazonas. Em 2014, esse encontro foi reconhecido como patrimônio cultural de natureza imaterial do Pará devido sua exuberância e também pela importância turística para a região. (Foto: Prefeitura de Santarém) Como de praxe, é natural que os povos nativos da região tentem proteger a riqueza ambiental da localidade. O maior problema enfrentado por essas pessoas é o "desenvolvimento" que grandes empreendimentos trazem para o território, isto é, consequências danosas para o meio ambiente e para a forma de viver das comunidades. Visando mostrar suas convicções, foi atualizada a Carta do Encontro das Águas Santarém em 17 de Junho desse ano, a fim de reafirmar o compromisso que as comunidades, instituições e movimentos populares têm em exigir a devida proteção que os mencionados recursos hídricos merecem. Trechos da carta:"Essas águas limpas e serenas dos rios Juruena, Teles Pires e Tapajós hoje seagitam sob as ameaças de inúmeros projetos em operação, em construção ou planejados,como hidrelétricas, portos, ferrovias, hidrovias, mineração, madeireiras, monoculturas. Por essas águas uniremos nossas forças.""Lutamos contra a invisibilidade que tentam nos impor. Para isso, nos mobilizamos e fazemos pressão sobre os poderes constituídos, denunciamos as injustiças, nos conectamos em redes, produzimos conhecimentos, realizamos a autodemarcação dos nossos territórios, ocupamos áreas que não respeitem a função social da propriedade tal como definido na nossa Constituição Federal. " Segue link para acesso a carta do encontro das águas de santarém: http://www.saudecampofloresta.unb.br/wp-content/uploads/2019/06/CARTA-DO-ENCONTRO-DAS-ÁGUAS-ATUALIZADA.pdf

Por |26/06/2019|Boletins, Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em CARTA DO ENCONTRO DAS ÁGUAS SANTARÉM, 17 DE JUNHO DE 2019.

ENTREVISTA: SAÚDE INTEGRAL DAS POPULAÇÕES DO CAMPO, DA FLORESTA E DAS ÁGUAS

"Cuidar dessas populações do campo, da floresta e das águas é cuidar de quem hoje são os guardiões da nossa biodiversidade", pontua Fernando Carneiro / Foto: Acervo Pessoal O atual contexto socioambiental preocupa ambientalistas, pesquisadores e, mais ainda, os povos e comunidades tradicionais que guardam a sociobiodiversidade dos biomas brasileiros. Em entrevista ao OTSS, Fernando Carneiro, pesquisador da Fiocruz Ceará, fala sobre a importância de se demonstrar cada vez mais, por meio de estudos científicos, a importância da proteção naturalmente exercida pelos chamados povos dos campo, das florestas e das águas na salvaguarda da sociobiodiversidade brasileira. Ele tem sua trajetória profissional ligada à promoção da saúde no campo e integra o "GT Saúde e Ambiente da Abrasco" e o Observatório da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, Floresta e das Águas – Teia de Saberes e Práticas (OBTEIA). Fernando Carneiro, pesquisador da Fiocruz Ceará, fala sobre o trabalho do Observatório da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas – Teia de Saberes e Práticas (OBTEIA) para a promoção de territórios sustentáveis e saudáveis no Brasil. Acompanhe na íntegra essa entrevista: https://www.otss.org.br/post/entrevista-saude-integral-das-populacoes-do-campo-da-floresta-e-das-aguas Fonte: Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina.

Por |17/06/2019|Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em ENTREVISTA: SAÚDE INTEGRAL DAS POPULAÇÕES DO CAMPO, DA FLORESTA E DAS ÁGUAS

Pesquisa da UERN, UFERSA e Fiocruz fará um diagnóstico da situação de vida e saúde de famílias rurais do semiárido

Representantes da UFERSA, UERN e Fiocruz, CE Pesquisadores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) tiveram um projeto aprovado junto à Fiocruz para realização de cooperação técnica e científica que viabilizará a pesquisa “Produção de indicadores para avaliação das condições de vida das famílias e acesso aos serviços de atenção primária em territórios do litoral e do sertão do Ceará e Rio Grande do Norte”. O assunto foi discutido nesta terça-feira, 7, e contou com a presença da equipe da Fiocruz, da UERN e da UFERSA. A UERN foi representada pelo pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Rodolfo Lopes; a diretora da Faculdade de Enfermagem, Érica Louise; e a professora Andrezza Pontes, que integra o Grupo de Pesquisa Marcos Teóricos Metodológicos Reorientadores da Educação e do Trabalho em Saúde, da FAEN/UERN. A pesquisa tem como objetivo apresentar um diagnóstico da situação de vida e saúde de famílias e comunidades rurais do semiárido que moram no campo e no litoral. Inicialmente serão trabalhadas comunidades nas regiões de Apodi/RN e Icapuí/CE. Os pesquisadores que estão à frente do projeto no RN são Andrezza Pontes (UERN) e Jennifer do Vale (UFERSA). Fonte:http://portal.uern.br/blog/pesquisa-da-uern-ufersa-e-fiocruz-fara-um-diagnostico-da-situacao-de-vida-e-saude-de-familias-rurais-do-semiarido/

Por |9/05/2019|Notícias sobre Saúde do Campo e da Floresta|Comentários desativados em Pesquisa da UERN, UFERSA e Fiocruz fará um diagnóstico da situação de vida e saúde de famílias rurais do semiárido

Re-existências dos povos do Vale do Jaguaribe na IX Semana Zé Maria do Tomé

Comunidade em solidariedade à memória do militante Zé Maria do Tomé Já se passaram nove anos desde o dia 21 de abril de 2010. Uma emboscada na estrada, entre as extensas áreas de plantação de bananas, 25 tiros em Zé Maria. O covarde e brutal assassinato do morador da comunidade do Tomé e ativo militante contra a pulverização aérea de agrotóxico na Chapada do Apodi, foi um recado a qualquer um que se colocasse entre os interesses do setor de fruticultura irrigada que tem forte influência econômica e politica no território. Contundo, ainda que a violência tivesse como objetivo intimidar a população, o crime gerou comoção, solidariedade e mobilização popular em torno dos conflitos relacionados às violações de direitos no Vale do Jaguaribe. A Semana Zé Maria do Tomé nasce dessa circunstância, sendo realizada a cada novo ano que se completa desde a morte do líder comunitário. Integrando comunidades, organizações, movimentos, paróquias, estudantes, pesquisadores e professores articulados em torno do Movimento 21 de Abril, a Semana é promovida para, de um lado, manter fortalecidos os elos entre as lutas – especialmente por água, terra e saúde -, e de outro, repercutir e intercambiar o que tem gerado vida e transformação social. Acompanhe na integra a história da luta por direitos na chapada do Apodi/RN: http://caritas.org.br/re-existencias-dos-povos-do-vale-do-jaguaribe-na-ix-semana-ze-maria-do-tome/41840 Fonte: http://caritas.org.br/re-existencias-dos-povos-do-vale-do-jaguaribe-na-ix-semana-ze-maria-do-tome/41840

Por |9/05/2019|Notícias do Observatório|Comentários desativados em Re-existências dos povos do Vale do Jaguaribe na IX Semana Zé Maria do Tomé

8° Congresso de Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde – Submissão de Resumos Expandidos

O 8° Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde acontece entre os dias 26 a 30 de Setembro em João Pessoa - Paraíba, e a submissão de resumos expandidos para o primeiro Grupo de Trabalhos acontecerá entre 26/03 até 27/05 obedecendo o horário de até 21 horas. Não deixe para última hora! Clique aqui: http://cshs.com.br/gt/index.php#topo

Por |9/05/2019|Notícias do Observatório|Comentários desativados em 8° Congresso de Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde – Submissão de Resumos Expandidos

Palestra “Ecologia de Saberes e Saúde Coletiva: experiências e desafios” com o Dr. Fernando Carneiro – Fiocruz, CE.

A LASP (Liga Acadêmica de Saúde Pública da UFERSA) e o Grupo de Pesquisa Marcos Teóricos Metodológicos Reorientadores da Educação e do Trabalho em Saúde (UERN) promovem na Terça-feira, dia 07/05 às 17h, uma palestra com o Dr. Fernando Carneiro (FIOCRUZ/CE) sobre o tema: "Ecologia de Saberes e Saúde Coletiva: experiências e desafios". O evento vai ser na UFERSA e será totalmente gratuito. Entretanto, as vagas são limitadas, então se inscreva no link e garanta já a sua. Dr. Fernando é graduado em Ciências Biológicas pela Universidade UFMG, especialista em Vigilância em Saúde Ambiental pela UFRJ, mestre em Ciências da Saúde – área de Concentração de Saúde Ambiental pelo Instituto Nacional de Salud Pública de México e doutor em Epidemiologia pela UFMG e Pós-Doutor pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. link para inscrição: https://forms.gle/C1K7y5puYJQcHC3e6

Por |7/05/2019|Notícias do Observatório|Comentários desativados em Palestra “Ecologia de Saberes e Saúde Coletiva: experiências e desafios” com o Dr. Fernando Carneiro – Fiocruz, CE.

CPT irá lançar o relatório Conflitos no Campo Brasil 2018 nesta semana.

Convite para o lançamento da publicação anual Conflitos no Campo Brasil do ano de 2018. No dia 12 de abril, sexta-feira da próxima semana, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) lançará sua publicação anual, Conflitos no Campo Brasil 2018. É a 34ª edição do relatório que reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, neles inclusos indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais. O relatório mostra que 2018 é o ano com o maior número de conflitos por água desde que a CPT começou o registro em separado dos conflitos por terra no ano de 2002, 276. 73.693 famílias estão envolvidas nesses 276 conflitos por água; 85% delas são comunidades tradicionais. O número de conflitos é 40% maior do que em 2017 e o de famílias envolvidas, 108% maior. Lançamento do relatório Conflitos no Campo Brasil 2018 Quando: 12 de abril (sexta-feira), a partir das 14h30. Onde: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) – SGAN 905 Bloco C – Asa Norte, Brasília (DF). Mais informações: https://bit.ly/2WITr6A

Por |9/04/2019|Notícias do Observatório|Comentários desativados em CPT irá lançar o relatório Conflitos no Campo Brasil 2018 nesta semana.

Tese do PPGICS/Fiocruz aborda a vida dos ciganos no Brasil e Portugal

A tese de Azevedo faz um extenso levantamento histórico da vida cigana e também – sob a ótica da saúde – tenta mostrar qual o impacto das políticas públicas para esses povos.  Com a tese “A Produção Social dos Sentidos nos Processos Interculturais de Comunicação e Saúde: a apropriação das Políticas Públicas de Saúde para ciganos no Brasil e em Portugal”, Aluízio de Azevedo Silva Júnior, ele mesmo um cigano Kalon, enfocou os problemas que dificultam o atendimento de saúde aos povos ciganos. Em entrevista ao site do Icict, o aluno do PPGICS/Icict faz um panorama histórico da presença dos ciganos em Portugal e no Brasil, da presença deles no Rio de Janeiro na época do Império e nos dias atuais, dos preconceitos que envolvem o senso comum ("todo cigano é ladrão", por exemplo) e do impacto do racismo na saúde dos ciganos. Além disso, Azevedo revela que - contrariando a realidade - o nomadismo entre ciganos não é tão comum como parece. Leia a matéria completa aqui

Por |28/02/2019|Notícias do Observatório|Comentários desativados em Tese do PPGICS/Fiocruz aborda a vida dos ciganos no Brasil e Portugal