Plano Operativo

O Plano Operativo orienta as gestões federal, estaduais e municipais na construção de estratégias para implementar a Política Nacional. A partir de seus quatro eixos, podem ser realizadas ações para superar as iniquidades e desigualdades em saúde que afetam a vida das populações do campo e da floresta, o que permitirá avançar na consolidação do SUS como sistema universal, integral e equitativo.

O primeiro eixo do plano operativo trata da criação de mecanismos para a promoção da equidade em saúde de grupos em condições de vulnerabilidade: espaços adequados, produção de materiais de comunicação e aperfeiçoamento dos sistemas de informação, ações intersetoriais, processos de participação, estudos e pesquisas.
Trata de ações de promoção e vigilância à saúde das/os trabalhadoras/es e desenvolvimento de ações de saneamento ambiental. Busca redução dos fatores de risco decorrentes dos processos de trabalho, incluindo intoxicações por agrotóxicos, mercúrio e outras substâncias.
Insere temas da saúde do campo e da floresta em processos de educação das/os trabalhadoras/es do SUS; desenvolve processos educativos com base na educação popular; fomenta pesquisas e projetos de extensão; apoia educação permanente para lideranças sociais para o controle social e qualificação da gestão para monitoramento da Política.
Define que o monitoramente e a avaliação da Política Nacional devem considerar as ações propostas pelo Plano Operativo, as prioridades e metas do Contrato Organizativo da Ação Pública na Saúde (COAP) e o Plano Plurianual 2012-2015.

Documentos completos