A Oficina sobre a Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas e as práticas relacionadas às plantas medicinais e aos fitoterápicos será promovida pelo Ministério da Saúde dias 17 a 18 de julho de 2014, em Brasília.

Estarão reunidos gestores municipais, federais e movimentos sociais. A finalidade é compartilhar experiências exitosas no trabalho com plantas medicinais e fitoterápicos, na perspectiva de integração ao Sistema Único de Saúde. Ações nesse sentido relacionam-se tanto com a Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta (PNSIPCF) como com o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF).

São esperados aproximadamente 100 participantes, incluindo 30 a 40 lideranças de movimentos sociais, secretários municipais de saúde, representantes de áreas técnicas do Ministério da Saúde, além de outros Ministérios/instituições.

De acordo com o Ministério da Saúde, a oficina é fruto de demanda antiga dos movimentos. O Ministério tem um edital com recursos para apoiar iniciativas dos municípios e estados nessa área (veja aqui), fomentando produção e uso no SUS.

Por se tratar de produção de medicamentos, é um setor altamente regulado, que demanda conhecimentos técnicos e estrutura aos que buscam envolver-se na produção de fitoterápicos e plantas medicinais a ser utilizadas no interior do SUS. Uma das experiências exitosas a ser discutida no seminário é a de Itapeva (SP), onde secretaria municipal de saúde e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) trabalham juntos no processamento dos produtos.

O encontro também pretende discutir a regulamentação da área e estratégias para integrar as experiências dos movimentos sociais em plantas medicinais e fitoterápicos ao Sistema Único de Saúde.

Veja aqui a programação Oficina Plantas Medicinais e Fitoterápicos.