Fonte: Via Campesina/ MPA Brasil
As sementes nas mãos do campesinato significam a garantia de um futuro digno e soberano no campo.

Comunicado de  imprensa da Via campesina

A  Via Campesina é  um movimento camponeses internacional, mobiliza milhões de camponesas e camponeses em todo o mundo em favor das sementes crioulas, desde de 17 de abril de 1996 a via campesina declarou essa data como dia mundial de lutas camponesas, junto com aliados e amigos articula uma jornada de mobilização global.

Com mais de cem ações de caráter nacional e territorial em todos os continentes.a via campesina, reafirma a importância da luta local, e também reafirma a necessidade de uma resistência e articulação internacional no campo e na cidade. Ações como ocupações de terra, fóruns, feiras agroecologicas, debates e  trocas de sementes ser]ao realizadas até o final do mês de abril como parte dessa jornada mundial.

Nesta mobilização a Via Campesina busca denunciar as leis e interesses que pretendem proibir o uso, intercambio e acesso as sementes crioulas consideradas um patrimônio dos povos a serviço da humanidade e a garantia da soberania alimentar dos povos  como um compromisso de acabar com a fome no mundo.

historicamente, as camponesas, camponeses, indígenas, homens e mulheres vem conservando e cuidando das sementes, a Via Campesina diz NÃO a toda tentativa de criminalizar  essa pratica tradicional de cuidar, produzir e compartilhar as sementes.

Defender as sementes é defender os direitos dos camponeses e camponesas, as sementes nas mãos do campesinato significam a garantia de um futuro digno e soberano no campo.

No dia 17 de abril a Via Campesina estreará a nível mundial seu novo documentário “” El llamado de Yakarta “, com duração de 38 minutos, o documentário traz  intercâmbios, debates e reflexões de sua VI conferencia realizada na Indonésia em 2013. A diversidade cultural, os valores da solidariedade, unidade que conformam o projeto político em defesa de um modelo alimentar camponês, onde as sementes tem um lugar central na luta por soberania alimentar e a construção de uma sociedade justa também serão abordados no documentário.

Massacre de Carajás

No dia 17 de abril de 1996, no estado do Pará, no município de Eldorado dos Carajás. a policia militar brasileira mascarou camponeses e camponesas organizados no Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra ( MST), assassinando 19 pessoas. Nesse dia 1500 pessoas ocuparam e bloquearam a BR 150 com o objetivo de pressionar o governo para a liberação de terras para a reforma agrária. No entanto pro volta das  16 horas, 155 policiais fizeram um cerco contra as famílias do MST, depois do massacre mais três companheiros faleceram  e mais 69 pessoas saíram feridas, as autoridades do estado, policia e exercito e os grandes fazendeiros estavam aplicados e preparados para a execução do massacre.

 

Para entrevistas:

Guy Kastler (entrevistas em francês) : + 33 6 03 94 57 21

Elizabeth Mopfu (entrevistas em inglês) + 263 772 443 716

Eberto Díaz (entrevistas em espanhol) : + 57 31 03 01 75 34